sábado, 19 de janeiro de 2013

Web Novela - ''Destinos Cruzados'' 35º CAPÍTULO


Pov Lua On'
Saí do meu quarto, desci as escadas e encontrei a Mel, o Chay e a Sophia na sala de estar, eles também estavam prontos.
Meus irmãos se levantaram e nós três nos abraçamos, o Chay que não estava mais chorando, voltou a chorar e acabou que eu e a Sophia também caímos no choro. A tia Nádia era muito querida por todos nós!
Depois do nosso abraço que foi bem demorado, nos sentamos no sofá, em silêncio, aguardando minha mãe e meu pai.

ALGUNS MINUTOS DEPOIS...

Ouvimos uma porta bater, e logo em seguida, minha mãe desceu as escadas chorando apoiada no meu pai.
Quando minha mãe terminou de descer as escadas, logo o Chay foi abraçá-la, ainda chorando.
Chay: Por que ela tinha que morrer mãe ? Por que ? Eu amava tanto a tia Nádia ! - ele dizia chorando enquanto abraçava minha mãe.
Eva: Meu filho, era a hora dela, e não chore por favor, ela não iria gostar de te ver chorando. - ele se afastou da minha mãe, depois eu a abracei, logo em seguida a Sophia abraçou ela e a Melzinha também.
Franco: Bom, então vamos ?
Mel, Chay, Sophia e Lua: Vamos.
Eva: É, vamos então. - saímos de casa, e fomos para os carros. 

Eu, meus pais e a Sophia fomos no carro do meu pai, a Mel e o Chay foram no carro dele.

20 MINUTOS DEPOIS...

Chegamos ao Cemitério Parque Campo das Flores, onde minha família tinha jazigos, minha tia seria velada e enterrada lá.
Quando chegamos lá, meu pai e o Chay estacionaram os carros e nós descemos do carro, minha mãe foi logo ver a irmã no caixão, e meu pai foi atrás dela, pois ela poderia passar mal, não tinha muita gente lá ainda, pois a notícia era recente, agora ainda era 11:40.
Antes de ver minha tia, fui ao encontro de minha vó, que chorava aos prantos sentada em uma cadeira mais afastada do caixão.
Lua: Vovó ! - eu me sentei ao lado dela, e ela me abraçou.
Madalena: Lua, minha querida, como você está ?
Lua: Péssima né vovó ?! E a senhora, como está ?
Madalena: Estou péssima também não é minha neta... que tragédia!
Lua: Nem me fale vovó.. cadê o tio Gláucio e as crianças ?
Madalena: Ele estava aqui, e saiu para buscar a Gabriela e o Gabriel que estão em casa com a babá.
Lua: Mas vovó, você acha que ele devia trazer as crianças aqui ? É muito forte isso.
Madalena: Ah, eles vão se despedir da mãe, fora que na hora do acidente, eles já viram até muita coisa que não devia.
Lua: Você tem razão... vovó, ela está muito deformada ? Você sabe que eu tenho um pouco de receio de ver as pessoas no caixão.
Madalena: Não tenha medo Lua, vá ver sua tia, ela está linda como sempre, e graças a Deus, o rosto ficou quase intacto, só tinha alguns arranhões, mas passaram uma base e não dá pra ver direito, ela machucou muito mesmo por dentro e da cintura para baixo. - ao dizer isso, ela chorava ainda mais.
Lua: Você viu ela no IML ?
Madalena: Não, só o Gláucio.
Lua: Coitado do tio Gláucio... bom vovó, daqui a pouco eu volto aqui, vou ver como minha mãe está e aproveito para ver a minha querida tia. 
Madalena: Vá minha neta, vá. - eu me levantei, pedi a Deus para ele me dar forças e fui para perto do caixão, minha mãe chorava muito ao lado do caixão, e meu pai estava atrás de minha mãe, segurando-a. Chay chorava sentado do outro lado do caixão e Mel passava as mãos levemente sobre os ombros dele, já Sophia chorava em um canto, ela já tinha visto a nossa tia.
Cheguei bem perto do caixão e pude vê-la, realmente ela estava linda como sempre, assim como vovó falou, estava um pouquinho inchada, mas estava linda, minha tia sempre foi linda. E mesmo vendo ela ali, tão linda, parecendo que estava dormindo, eu sabia da realidade, ela realmente estava dormindo, mas nunca mais iria acordar, e ao pensar nisso, acabei desabando em lágrimas também.

Aos poucos, iam chegando alguns amigos dela, e nossos familiares... Depois de minha mãe, a segunda irmã a chegar foi a tia Otávia com o tio Antônio e a Micaela.
Fui até eles, e os abracei, um de cada vez.
Otávia: Como você está linda minha sobrinha!
Lua: Obrigada tia, a senhora também está muito bonita.
Otávia: Ou senhora ou linda - ela riu
Lua: Ok... - eu também ri
Micaela: Lulu, sabia que eu vou ter um irmãozinho ou uma irmãzinha.
Lua: Sério Micaela ?
Micaela: Muito sério Lulu, não é mamãe ?
Otávia: Micaela e sua língua solta - nós rimos
Otávia: Mas é verdade Lua, eu estou grávida ! 
Lua: Ah, que ótimo tia ! Parabéns! - eu a abracei mais uma vez.
Otávia: Obrigada! Mas, mudando de assunto.. como que a sua mãe está ? 
Lua: Aos prantos do lado do caixão.
Otávia: Ai Deus! Deixa eu ir lá logo ver minhas irmãs, fiquei a viagem toda tentando criar forças para chegar aqui, mas, até agora nada.
Lua: Calma tia, vai com o tio Antônio e calma, ela está linda, parece que está dormindo.
Otávia: Tá bom Lua.. vamos Antônio ?
Antônio: Vamos.
Micaela: Papai, mamãe, posso ficar aqui com a Lulu ?
Otávia: Se a Lua quiser..
Lua: Sem problemas tia, vai lá que eu fico aqui conversando com a Micaela. - minha tia e meu tio foram se aproximando do caixão, e eu e a Micaela nos sentamos em um banquinho e ficamos conversando, ela tinha só 11 anos, mas era uma graça.
Micaela: Lulu, posso te contar um segredo ?
Lua: Pode Micaela, claro.
Micaela: Eu tenho um namorado sabia ?
Lua: Um namorado ? Mas você é muito nova Micaela.
Micaela: Ah Lulu, ele é lindo, chama Henrique, vou te mostrar uma foto dele. - ela pegou o celular dela e mostrou uma foto dos dois juntos.
Lua: Ele é lindo, mas você é muito nova Micaela. Você já beijou ele ?
Micaela: Claro que não Lulu, eu sei que eu sou nova, mas a gente namora entendeu ?
Lua: Ah, de brincadeirinha né ?
Micaela: Não Lulu, de verdade, mas eu não beijei ele.
Lua: Ah, que ótimo! Seu pai sabe disso ?
Micaela: Claro que não, não conta pra ele Lulu, por favor.
Lua: Tá bom, eu não vou contar - eu ri dela e continuamos conversando sobre o ''namoro'' dela 'rs
Pov Lua Off'


CONTINUA...

Um comentário: